Pushing Daisies continua encantadora em segunda temporada

A segunda temporada de Pushing Daisies chega ao Brasil, em Box com 4 DVDs, cheia de qualidades. Qualidades que não adiantaram muito para manter a vida do seriado, já que essa é a segunda e última.

Antes de me debulhar em elogios a produção criada Bryan Fuller, uma pausa para um momento hiperventilação. Logo no primeiro episódio o fazedor de tortas, Ned (Lee Pace), aparece de cueca.

Hiperventilei...

Hiperventilei...

Não preciso dizer que Pace é uma das qualidades da série. Não só sua carinha fofa, mas toda a fofura que ele imprime ao personagem. E as boas atuações não só acabam com ele, se estendendo a todo o elenco.

Nessa segunda temporada, Chuck (Anna Friel) se envolve em diversos problemas ao buscar um significado para sua pós-vida mais que viva, depois do toque mágico do fazedor de tortas. Já ele, tem contatos de primeiro – e outros graus – com parentes afastados, incluindo seu pai. Emerson Cod tem mais do seu passado revelado, como sua relação com sua mãe, sua ex-mulher e sua busca por sua filha. E Oliver Snook (a engraçadíssima, ótima cantora e petite Kristin Chenoweth) faz de tudo para se dar bem no amor – até entrar num convento para esquecer sua paixão por Ned.

Segunda Temporada Pushing DaisiesInfelizmente tudo acaba abruptamente sem muitas explicações no último episódio, deixando os fãs esperando por bem mais – logo depois do seu cancelamento, surgiram rumores de que o seriado poderia continuar em formato de quadrinhos, mas nem sinal ainda.

O humor, as cores vivas, os diálogos trava-línguas e todo o estilo Amelie Poulan – de que o próprio Fuller admite se inspirar – são grandes qualidades da produção, mas talvez também os motivos para as baixas audiências lá fora. É verdade que a narrativa cíclica dos episódios – sempre relembrando fatos ocorridos anteriormente inúmeras vezes – pode cansar muitos.

Além de ignorada pelos espectadores, a série também foi esnobada pelo Emmy desse ano. Apenas Kristin recebeu uma indicação como atriz coadjuvante em série de comédia. Uma indicação bem merecida – a expressão “Here’s the sitch”, algo como “A situação é a seguinte”, na voz dela é uma das minhas all time favorites.

Os fatos são esses: se você gosta desse estilozão fábula moderna encontra verborragia Gilmore Girls encontra prazeres de Amelie Poulan, acompanhe a série sem medo. E só pra reforçar:

Nem precisa fazer torta... Parado, sem camisa e sorrindo tá ótêmo!

Nem precisa fazer torta... Parado, sem camisa e sorrindo tá ótêmo!

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Resenha fora do quadrinho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s