Resenha no seu quadrinho: Kick-Ass: Quebrando Tudo

 

Dave Lizewski é um nerd. Dave é um nerd nada descolado, sem uma vida sexual ativa – tirando suas constantes punhetas -, sem um vínculo forte com seu pai – sua mãe morreu de um aneurisma inesperado -, sem grandes planos para o futuro e sem grandes ações no seu currículo. Dave é um perdedor. Um perdedor comum que você encontra diariamente.

Mas se parássemos por aqui, a banalidade da vida de Dave não daria uma história em quadrinhos, quanto mais um filme de ação hollywoodiano. Mas Dave resolve sair de sua inércia de perdedor e se tornar um super-herói como aqueles que ele lê nas suas HQs. Ele compra uma roupa de mergulho verde com máscara e se arma com dois porretes e sai às ruas procurando seus próprios vilões. Só que Dave tem apenas 16 anos e combater o crime não se mostra uma tarefa muito fácil: ele aprende que seu maior poder é levar boas surras.

Por fim, Dave descobre que existem vigilantes mascarados soltos nas ruas combatendo o crime sem que a polícia desconfie, como a dupla Big Daddy e Hit-Girl, pai e filha que depois de uma evento devastador em suas vidas resolvem ir atrás de vingança contra um grande criminoso. Depois de levar uma surra, que foi gravada e exibida via Youtube, o garoto vira uma celebridade como o herói Kick-Ass, sem perceber que este mundo é bem mais duro do que ele imagina.

Essa é a premissa básica de Kick-Ass, história em quadrinhos criada pelo roteirista Mark Millar e o quadrinista John Romita Jr., que começou a ser publicada em fevereiro de 2008 e só este ano foi concluída. E já ganhou adaptação para o cinema, que estreia esta sexta-feira dia 18 como Kick-Ass: Quebrando Tudo.

O longa com direção de Mathew Vaughn (Stardust: O Mistério da Estrela) consegue trazer todo o humor negro da sua versão em quadrinhos, trazendo uma história nada típica de super-heróis.  Algumas adaptações foram feitas, mas o essencial da trama está ali. O filme, em síntese é muito bom. Traz uma boda dose de comédia com cenas de ação incríveis – a maior parte delas protagonizadas por uma garotinha de 12 anos, a Hit-Girl, interpretada muito bem pela atriz Chloë Moretz, que já está virando uma pequena musa dos nerds -, com muita sanguinolência e desmembramento, bem tarantinesco. Ainda no papel de Kick-Ass, Aaron Johnson, e Nicholas Cage como Big Daddy.

Vejo apenas duas falhas no longa. Primeiro, ele entrega logo no começo da fita um mistério que só será revelado nas últimas edições da revista, estragando uma boa surpresa. E segundo, o filme fica muito doce no final, perdendo um pouco da maturidade, cinismo e sarcasmo de sua versão em papel.

Os dois, porém, passam uma mensagem bastante interessante – se você é daqueles que gosta de desconstruir tudo -, sobre como nossa sociedade anda impassível diante da violência e como estamos pouco dispostos a estender uma mão em auxílio para um companheiro com problemas. Para mudar isso é que surge Kick-Ass, um herói, que apesar de sua falta know-how no ramo, teve coragem de tentar mudar isso.

Mas é um filme incrível. Divertido mesmo! E se você gostar do que viu na tela, a Panini lançará esse mês – se não atrasar para variar – o volume encadernado da série. Abaixo você confere um trailer e uma galeria de imagens. Enjoy!

 

 

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Resenha no seu quadrinho

2 Respostas para “Resenha no seu quadrinho: Kick-Ass: Quebrando Tudo

  1. Fausto

    Sua resenha me deixou animado!

  2. Pingback: Resenha no seu quadrinho: Scott Pilgrim Contra o Mundo, O Filme « Cada um no seu Quadrinho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s